Regional:Tauá, Arneiroz, Parambu e Aiuaba entram na Fase 1 do Plano de Retomada da Economia

Melhor Programa de Esporte.
Melhor Programa de Esporte.

Os municípios da Região dos Inhamuns iniciam nesta segunda-feira(06) a Fase 1 do Plano de Retomada da Economia divulgado pelo Governo do Estado por conta da pandemia do coronavírus no Ceará.

Tauá, Arneiroz, Aiuaba e Parambu, que integram a Macrorregião de Saúde do Sertão Central foram incluídos no Decreto Estadual que prorroga o isolamento social no Estado do Ceará e renova a política de regionalização dessas medidas divulgado na noite ontem(05).

Os municípios de Quiterianópolis e Catarina continuam na Fase de Transição.

O anúncio das novas medidas ocorreu no início da tarde durante live ao vivo no Facebook pelo Governador Camilo Santana.

As medidas de flexibilização permitiram que 40 municípios do Estado deixassem a Fase de Transição evoluindo para a Fase 1 do Plano de Retomada da Economia. São eles:

Macrorregião do Sertão Central

Tauá, Parambu, Aiuaba, Arneiroz, Boa Viagem, Pedra Branca, Quixadá, Canindé, Quixeramobim, Itatira, Ibicuitinga, Banabuiú, Caridade, Madalena, Choró, Parambu, Solonópole, Paramoti, Milhã, Senador Pompeu e Ibaretama.

Macrorregião Leste/Jaguaribe

Russas, Morada Nova, Aracati, Limoeiro do Norte, Tabuleiro do Norte, Jaguaruana, Jaguaribe, Quixeré, Icapuí, Jaguaribara, Itaiçaba, Jaguaretama, São João do Jaguaribe, Alto Santo, Fortim, Iracema, Ererê, Palhano, Pereiro e Potiretama.

Atividades liberadas

Conforme o Plano, somente 40% da atividade presencial será permitida nos serviços liberados com a Fase 1. Confira quais são:

– Indústria química e correlatos (Indústria de químicos inorgânicos, plásticos, borracha, solventes, celulose e papel|);

– Artigos de couros e calçados (Indústria e comércio);

– Cadeia metalmecânica e afins (Fabricação de ferramentas, máquinas, tubos de aço, usinagem, tornearia e solda e comércio atacadista);

– Saneamento e reciclagem (Recuperação de materiais);

– Cadeia energia elétrica (Construção para barragens e estações de energia elétrica, geradores);

– Cadeia da construção (Até 100 operações por obra, cadeia produtiva com 40%);

– Têxteis e roupas (Indústria e comércio);

– Comunicação, publicidade e editoração (Comércio de livros e revistas);

– Indústria e serviços de apoio (Comércio de artigos de escritório, serviços de manutenção, contabilidade, auditoria e direito);

– Artigos do lar (Indústria e comércio);

– Cadeia agropecuária (comercialização de flores e plantas, couros);

– Cadeia moveleira (Indústria e comércio);

– Tecnologia da informação (Industria e comércio);

– Logística e transporte (Comércio de bicicletas);

– Cadeia automotiva (Indústria, comércio e serviços);

– Comércio de outros produtos (Comércio de saneantes, livraria, brechós, papelarias, doces e caixões);

– Comércio e serviços de higiene e limpeza (Comércio de higiene e cosméticos);

– Esporte, cultura e lazer (Fabricação e comércio de aparelhos esportivos, instrumentos e brinquedos).

Transporte intermunicipal

O transporte de passageiros entre municípios retornará às operações em território cearense a partir da próxima sexta-feira, 10 de julho. As empresas deverão seguir um “rigoroso protocolo sanitário”, de acordo com o governador Camilo Santana

“O tempo da pandemia em cada região tem sido diferente. É obrigatório o uso da máscara e proibido aglomeração. É importante que as pessoas cumpram essas determinações para que a gente possa continuar avançando nas fases de abertura”, destaca Camilo sobre as viagens.

Conforme o Protocolo de Reabertura do Transporte Coletivo Público e Privado, elaborado pelo Governo do Estado, ficaram estabelecidas regras como a disponibilização de álcool em gel 70% aos passageiros e de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) a todos os funcionários.

Além disso, os veículos devem ser desinfectados, no mínimo, três vezes ao dia: uma à noite, outra após o pico da manhã e outra antes do momento de maior demanda da tarde. Os ambientes também devem ser ventilados e manter janelas abertas.

*Com informações do Diário do Nordeste