PF deflagra operação contra prefeitos que querem se beneficiar com coronavírus

A Polícia Federal deflagrou hoje (23) operação, por determinação do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, para prender prefeitos de todo Brasil, inclusive do Ceará, envolvidos no desvio de verbas do combate à Covid-19. Nas redes sociais, a ação já está sendo chamada de Lava Corona.

O primeiro alvo da PF foi o município da Paraíba de Aroeiras. Lá, as fraudes foram escandalosas, porém não devem ser diferentes das que, suspeita-se, esteja acontecendo no Ceará.

Em tempo

Os Prefeitos cearenses tremem com a chegada da Lava Corona aqui.

Em tempo II

O prefeito de Catarina, Thiago Paes de Andrade, só reapareceu no município quando a verba para o combate à doença chegou. Estava sumido da cidade desde o início da pandemia.

Em tempo III

Como a Procap nada faz para cumprir as determinações do Tribunal de Justiça do Ceará para desbaratar a corrupção em Catarina, a esperança agora é o ministro Sergio Moro.

onfira nota da PF

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta quinta-feira (23/4) a Operação ALQUIMIA, com objetivo de combater o desvio de recursos públicos, especialmente mediante crimes licitatórios envolvendo a Prefeitura de Aroeiras/PB.

A operação, deflagrada em conjunto pela Polícia Federal, Controladoria Geral da União (CGU), Ministério Público Federal (MPF), Ministério Público do Estado da Paraíba – GAECO, e com auxílio do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba, contou com a participação de 20 policiais federais e de 3 auditores da Controladoria Geral da União, sendo realizado o cumprimento de 3 mandados de busca e apreensão na residência do investigado, em uma empresa, e na Prefeitura de Aroeiras. As ordens foram expedidas pela 6ª Vara Federal da Subseção Judiciária em Campina Grande, Paraíba.

Entenda o Caso:

A presente investigação iniciou-se diante de indícios de irregularidades na aquisição de livros, pela Prefeitura de Aroeiras, com recursos do Fundo Nacional de Saúde, por meio de procedimentos de inexigibilidade de licitação, sob o manto de auxiliar na disseminação de informação e combate à situação de pandemia do Coronavírus – COVID 19. Restou demonstrado que livros e cartilhas similares estão disponibilizadas gratuitamente na página do Ministério da Saúde na internet. Ademais, a CGU apontou que um dos livros foi adquirido pelo Município cerca de 330% acima do valor comercializado na internet, o que ocasionou um superfaturamento correspondente a R$ 48.272,00.

CRIMES INVESTIGADOS

Os investigados responderão pelos crimes de inexigibilidade indevida de licitação (art. 89 da Lei n. 8666/93) e peculato (art. 312 do Código Penal), além de outras condutas criminais correlatas, cujas penas somadas podem chegar a 17 anos de prisão.

NOME DA OPERAÇÃO

O nome da operação, ALQUIMIA, é uma alusão à obtenção do elixir da vida, um remédio que curaria todas as doenças, até a pior de todas (a morte), e daria vida longa àqueles que o ingerissem. Uma das aquisições de livros, feita pela Prefeitura de Aroeiras, ocorreu justamente no período de combate ao COVID-19 e sob o pretexto de enfrentamento ao vírus.

Será concedida entrevista coletiva às 10h, em conjunto com a CGU/PB e o MPF/PB, na nova sede da Polícia Federal, localizada em João Pessoa/PB (Rua Aviador Mário Vieira de Melo, conjunto João Agripino, às margens da BR 230).

Fonte: cEARA nEWS