Ceará perde para o CSA e acumula sexto jogo sem vencer no Brasileirão

Melhor Plano Funerário de Mombaça e Região.
Melhor Plano Funerário de Mombaça e Região.

A fase do Ceará no Campeonato Brasileiro segue ruim. Na tarde deste domingo (22), em confronto direto que marcou a abertura do 2º turno pro Alvinegro, o Vovô perdeu por 1 a 0 para o CSA, no estádio Rei Pelé, e acumulou o sexto jogo seguido sem vencer. Foram quatro derrotas e dois empates nesta sequência.

Com o resultado, o Alvinegro segue com 22 pontos, mas perdeu a 13ª posição já que o Goiás venceu o Fluminense por 3 a 0, em jogo que encerrou a rodada de domingo. Já o CSA chegou aos 19 pontos e deixou a zona de rebaixamento.

O Alvinegro volta a campo já na próxima quarta-feira (25), para outro confronto direto. Às 19h30min, o Vovô enfrentará o Cruzeiro, na Arena Castelão. Já o CSA voltará a campo um dia depois, para enfrentar o Grêmio, em Porto Alegre.

O JOGO
O primeiro tempo começou com bastante intensidade e o Ceará foi superior. Bem organizado e com bastante movimentação de Lima, Thiago Galhardo e Leandro Carvalho, o Alvinegro criou muitas chances de marcar, mas voltou a pecar nas finalizações.

Somente na etapa inicial, o Vovô teve 14 finalizações, sendo 7 na direção do gol. O goleiro Jordi teve grande atuação e fez importantes defesas. O camisa 12 foi o grande personagem da partida e teve muitos méritos para que o placar não fosse aberto.

O time da casa apostava na velocidade de Apodi para contra-atacar, e também teve chances de marcar. Lucas França, substituindo o titular Diogo Silva, também teve boa atuação e evitou os gols azulinos.

Na etapa final, porém, ele não foi capaz de defender o chutaço de Carlinhos. Aos 18 minutos, o camisa 6 cortou pra dentro e, de direita, mandou uma bomba no ângulo. A bola ainda bateu na trave antes de morrer no fundo das redes.

Mais uma vez, o Ceará voltou a pecar na conclusão das jogadas. O Alvinegro finalizou 23 vezes na partida inteira e não conseguiu marcar um gol sequer, amargando mais um péssimo resultado.

Fonte: Diario do Nordeste.