Bolsonaro confirma que citou palavra “PF” em reunião de ministros

Ao contrário do que afirmou há 2 dias na rampa do Palácio do Planalto, o presidente Jair Bolsonaro disse na manhã desta 6ª feira (15.mai.2020) que citou a palavra “PF” durante a reunião interministerial realizada no dia 22 de abril.

Ao deixar o governo, o ex-ministro Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública) acusou Bolsonaro de tentar interferir na Polícia Federal durante aquele encontro. Moro pede que o STF (Supremo Tribunal Federal) autorize a divulgação da íntegra do vídeo da reunião.

“Vamos lá, pessoal, se for pertinente eu respondo. Qualquer pergunta aí tendenciosa, acaba a entrevista”, disse Bolsonaro aos repórteres na frente do Palácio da Alvorada, sua residência oficial.

“Presidente, há 2 dias, o senhor falou textualmente para a gente do alto da rampa do Planalto que o senhor não citava Polícia Federal no vídeo. Por que a transcrição traz a PF?”, questionou 1 jornalista.

“Está a palavra PF. Duas letras: P-F”, disse o presidente.

“É Polícia Federal”, respondeu o mesmo repórter.

“Ô cara, ô cara! Tem a ver com a Polícia Federal, mas é a reclamação ‘PF’, no tocante ao serviço de inteligência”, falou Bolsonaro.

“A transcrição da AGU está correta, presidente?”, perguntou o repórter.

“Está correta”, respondeu.

Há 2 dias, na rampa da sede do Poder Executivo, o presidente afirmou que não havia a palavra “Polícia Federal” na gravação. Desta vez, ele confirmou a transcrição da AGU (Advocacia-Geral da União), que cita “PF”, abreviação do órgão.

De acordo com Bolsonaro, no entanto, a interferência mencionada por ele “não é nesse contexto da inteligência, não”:

“É na segurança familiar. É bem claro: segurança familiar. É bem claro, segurança familiar.”

A segurança do presidente é feita pelo GSI (Gabinete de Segurança Institucional), e não pela Polícia Federal.

Fonte: Poder 360