Tauaense é o segundo óbito por coronavírus no Ceará

Faleceu no início da tarde desta quinta-feira(26), em Fortaleza, a tauaense D. Zelinda Cidrão, 85 anos, que estava internada com um diagnóstico de coronavírus.

Familiares disseram ao Blog do Wilrismar, que D. Zelinda, que residia na capital cearense, estava internada há cerca de 9 dias, na UTI do Hospital São Carlos, depois de contrair a doença numa festa de aniversário.

Zelinda era casada com Ernesto Jataí, irmã do empresário Adjacir Cidrão, já falecido. Era proprietária das fazendas Carnaúba e Teodósio, localizadas na sede Distrital de Tauá.

Primeiro óbito também ocorreu em Fortaleza

O Estado do Ceará registrou a primeira morte por coronavírus na madrugada desta quinta-feira (26). O Sistema Verdes Mares conversou com um familiar que confirmou a morte e citou a causa descrita em laudo. A reportagem aguarda o posicionamento da Secretaria da Saúde do Ceará. Essa é a quarta morte pelo novo coronavírus no Nordeste, sendo três em Pernambuco.

A vítima é um homem, de 72 anos, identificado como José Maria Dutra, que residia em Fortaleza. Ele mantinha uma vida ativa e apresentava como comorbidade uma diabetes, e que era controlada, segundo o familiar. No laudo da morte consta que o idoso morreu em decorrência de uma “insuficiência respiratória causada por uma infecção pulmonar por Covid-19”.

Ele morreu por volta das 2h desta quinta e foi sepultado horas depois, por volta de 9h30, no Jardim Metropolitano, em Eusébio, na Grande Fortaleza.

A rapidez no sepultamento atende à decisão da Justica do Ceará, assinada no último dia 20, que proibiu a realização de velórios de eventuais mortos em decorrência do novo coronavírus. A medida impõe que o enterro deve acontecer logo depois da liberação do corpo nas unidades hospitalares.

No último dia 18, o idoso se dirigiu à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Edson Queiroz após sentir alguns sintomas de gripe, além de uma febre e falta de ar, de acordo com o parente dele que conversou com o Sistema Verdes Mares. Ele foi medicado e voltou para casa.

Dois dias depois, na sexta-feira (20), o quadro de saúde piorou e ele voltou a procurar uma unidade de saúde, mas desta vez o Hospital São José. Desde então, a família vem cumprindo quarentena.

Ao chegar ao local, foi imediatamente encaminhado à Unidade de Terapia Intensiva (UTI) onde permaneceu até o registro de sua morte.

Reportagem: Blog do Wilrismar/Jornal Diário do Nordeste/mombacanews.com