Sem Bolsonaro, Globo cancela debate e não fará entrevista com Haddad

Sem a presença de Jair Bolsonaro (PSL), a TV Globo cancelou o debate presidencial previsto para a noite de 6ª feira (26.out.2018). A emissora também não dará espaço exclusivo ao candidato do PT, Fernando Haddad, como é permitido pelo TSE.

“Na reunião de elaboração das regras do evento foi acertado com as assessorias dos candidatos que, se Jair Bolsonaro não pudesse comparecer por razões de saúde, o debate não seria substituído por entrevistas”, disse a emissora.

A TV disse que recebeu na 2ª feira (22.out) 1 e-mail da campanha de Bolsonaro informando que o candidato não poderá participar do evento em razão de limitações de saúde.

No entanto, o próprio Bolsonaro já disse que poderia não participar dos debates do 2º turno por questões “estratégicas”. O militar lidera as pesquisas de intenção de voto com ampla vantagem.

O histórico de pesquisas e resultados de votação mostra que uma eventual virada de Haddad seria 1 fato inédito. Segundo pesquisa do DataPoder360, divisão de pesquisas do Poder360, Bolsonaro tem 64% dos votos válidos. Haddad tem 36%.

 

 

 

Eis a carta enviada à TV Globo pela campanha de Bolsonaro:

“Como informado pelo Rodrigo Marcondes, na reunião do dia 9 de outubro pp., a presença do candidato Jair Bolsonaro ao debate da TV Globo precisaria ser confirmada por sua assessoria, tendo em vista o seu atual quadro de saúde.

Apesar de o Dr. Antonio Macedo ter reduzido o nível de restrição de suas atividades rotineiras, o candidato continua com limitações em virtude da bolsa de colostomia. Segundo explicado pelo aludido médico (vídeo anexo), o paciente com a bolsa de colostomia fixada ao lado direito do abdômen, como no caso do candidato, não tem qualquer controle intestinal. Com isso, o seu preenchimento total pode ser rápido e inesperado, podendo levar ao rompimento da bolsa, o que gera extremo desconforto e constrangimento ao paciente.

Além disso, por orientação médica, ele ainda deve evitar esforço físico, estresse excessivo ou ficar muito tempo em pé.

Por esses motivos, ele não poderá comparecer ao debate marcado para o dia 26 de outubro, às 22 horas”.