Racha e recado: Capitão Wagner desabafa e cobra PSDB a deixar cargo no Governo

O deputado estadual Capitão Wagner (PROS) fez um duro discurso, nesta quinta-feira, 22, na Assembleia Legislativa, para cobrar aos partidos de oposição que sejam verdadeiramente oposição. O recado é dirigido à cúpula estadual do PSDB, que tem o ex-vice-governador Maia Júnior como Secretário de Planejamento da administração Camilo Santana (PT). Wagner mostrou-se irritado com declarações do presidente da Executiva Regional do PSDB, Francini Guedes, que o criticou pelo gesto isolado de se filiar ao PROS, criando, assim, na visão do tucano, dificuldades para formação de uma chapa ao Governo do Estado.

Em tom de desabafo, Wagner não escondeu o seu descontentamento com as cobranças entre oposicionistas. “Eu quero chamar aqui os partidos de oposição para que sejam oposição de fato. Que não sejam de oposição mantendo gente do partido no Governo’’, disse Wagner, em pronunciamento na Assembleia Legislativa, para em seguida acrescentar: ‘’Se eu sou de oposição, eu não posso ter filiado do meu partido no Governo. Eu não posso admitir que um filiado seja secretário de Governo e vir dizer que sou de oposição. Se eu sou de oposição, eu sou oposição completa’’, complementou.

Irritado e descontente, o Capitão Wagner foi ainda mais longe e afirmou que não se sujeita a exigências

Discuso.

“Eu não posso ser oposição ao governador, mas está votando no senador do governador. É muito bonito…eu sou oposição ao Camilo, mas eu voto no Eunício. Que oposição é essa?Vamos ser oposição de fato. Não dá para dizer que é de oposição ou de meia (sic) de oposição. Que oposição é essa?’’.

O Capitão Wagner, em seu desabafo, cobrou, ainda, como condição para concorrer ao Governo do Estado, que os partidos de oposição apresentem nomes para compor a chapa como candidato a vice-governador e ao Senado. Se apresentarem nomes com viabilidade política e eleitoral, ele, Wagner, disse que, mesmo no sacrifício, aceitará concorrer à sucessão do Governador Camilo Santana.

WAGNER & PROS

Nome de maior força eleitoral na oposição, Capitão Wagner se filiou, nessa quarta-feira, em Brasília, ao PROS. A filiação, de forma isolada e sem a presença dos líderes de oposição, gerou dúvidas e incertezas sobre a manutenção da candidatura de Wagner ao Governo do Estado. O discurso do Capitão Wagner, nesta quinta-feira, em tom de desabafo e irritação, mostra que a oposição perdeu a sintonia e, mesmo com poucos partidos, está dividida. O grupo de oposição tem o PSDB, PSD e SD, além do PROS. A divisão na oposição é real e pode levar Wagner a concorrer à Câmara Federal.

Dos quatro partidos, apenas o PSDB tem um filiado ao partido – Maia Júnior, como Secretário de Planejamento e Gestão. Ao assumir o cargo, Maia disse que o fazia como cidadão e não como militante do PSDB. Os tucanos deixaram o assunto cair no esquecimento, não o censuram, nem pediram a Maia para deixar a sigla. O tempo passou e a cobrança por coerência ao PSDB, feita pelo Capitão Wagner, veio em um momento crucial. A cobrança gera constrangimento ao PSDB.