Quixeré tem a 3ª maior chuva do ano no Ceará

 

A cidade de Quixeré, na Região Jaguaribana do Ceará, registrou nas últimas 24 horas a terceira maior chuva de 2018, segundo Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme).

De acordo com o órgão choveu 135 milímetros entre as 7 horas de terça-feira (27) e 7 horas desta quarta-feira (28). A maior precipitação até esta quarta-feira ocorreu em Mauriti, Região do Cariri com 150 milímetros. Em seguida Milagres também no Cariri com 148 milímetros.

Ceará teve chuva em pelo menos 79 dos 184 municípios nesta quarta-feira. Além de Quixeré, houve boas precipitações em Russas (105 mm), Limoeiro do Norte (86 mm) e Morada Nova (60 mm).

Em Fortaleza a Funceme computou precipitação de 20 milímetros nas últimas 24 horas no Posto Água Fria. Desde meia noite choveu 10,6 milímetros. Algumas ruas e avenidas ficaram alagadas e um duplex desabou no Bairro Aerolândia.

Conforme a Funceme, uma Zona de Convergência Intertropical – banda de nuvens que circunda a faixa equatorial do globo terrestre, formada pela confluência dos ventos alísios do hemisfério norte com os ventos alísios do hemisfério sul propicia a formação de chuva na região.

Com as chuvas acumuladas dos últimos dez dias, sobe para nove o número de açudes no estado que estão com 100% da capacidade. O açude Maranguapinho, localizado no município de Maranguape sangrou no início desta semana, segundo dados da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh).

 

Os açudes que estão com 100% de sua capacidade são:

Maranguapinho, em Maranguape
Acaraú Mirim, em Massapê
Caldeirões, em Saboeiro
Itaúna, na cidade de Granja
Tucunduba, em Senador Sá
Cocó, na capital
Germinal, no município de Palmácia
Tijuquinha, em Baturité
Colina, na cidade de Quiterianópolis.
Onze açudes do Ceará estão com capacidade acima de 90%.
Situação dos principais açudes


Os maiores açudes do Ceará, no entanto, seguem em situação crítica. O Castanhão, principal reservatório a abastecer a Grande Fortaleza, tem apenas 3,81% da capacidade máxima. Já o Orós, segundo maior açude do estado, tem 6,27% do volume máximo.