Políticos e autoridades compareceram a velório de neto de Lula

Lula Com O neto

Políticos e autoridades compareceram neste sábado (2.fev) ao velório do neto do ex-presidente Lula, Arthur Lula da Silva, de 7 anos, que morreu nessa 6ª feira (1º.fev), vítima de meningite meningocócica.

O velório e a cremação do corpo foram realizados no Cemitério Jardim da Colina, em São Bernardo do Campo (SP), mesmo lugar onde foi cremada a ex-primeira-dama Marisa Letícia, morta em fevereiro de 2017.

Lula deixou o cemitério após quase 2 horas. Ele chegou no cemitério pouco depois das 11h e saiu 12h58. Amigos da família que participaram do velório disseram que, assim que o caixão desceu na cerimônia de cremação, agentes da PF (Polícia Federal) já estavam ao lado do ex-presidente para retirá-lo da sala.

Arthur era o 6º neto, nascido em janeiro de 2012, quando Lula passava por 1 tratamento de câncer na laringe. O pai de Arthur, Sandro Luís, é o 2º dos 3 filhos que o ex-presidente teve com Marisa.

Entre os que compareceram ao velório do neto do ex-presidente, estão os petistas:

Gleisi Hoffmann, presidente do PT;
Fernando Haddad, que concorreu às eleições presidenciais de 2018 pelo PT;
Dilma Rousseff, ex-presidente da República;
Gilberto Carvalho, ex-ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência da República no governo de Dilma Rousseff;
Alexandre Padilha, ex-ministro de Relações Institucionais no governo de Lula e ministro da Saúde no governo de Dilma Rousseff;
Benedita da Silva, ex-ministra do Desenvolvimento Social no governo de Lula;
José Genoino, ex-presidente do PT;
José Mentor, ex-presidente do PT;
Paulo Okamoto, presidente do Instituto Lula;
Professor Luizinho(PT-SP), deputado federal;
Eduardo Suplicy (PT-SP), ex-senador e vereador;
Rui Costa, governador da Bahia;
Vicentinho (PT-SP), deputado federal .
Também estiveram presentes Guilherme Boulos (Psol), ex-candidato à Presidência e coordenador do MTST, João Pedro Stedile, 1 dos fundadores do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra), e o deputado federal Ivan Valente (Psol-SP).

João Pedro Stedile disse que Lula falou na cerimônia e afirmou que ia provar sua inocência pelo neto, que, segundo o ex-presidente, sofria buylling na escola por causa de sua prisão.

“Na fala do Lula quando ele se despediu emocionou a todos nós. Disse que ele [Arthur] vinha sofrendo bullying na escola, que os colegas dele ficavam dizendo que o avô dele era ladrão e por isso estava preso. Ele fez 1 testemunho [com o neto] dizendo que se comprometia a lutar de todas as formas para que o Poder Judiciário o reconhecesse como inocente. Que ele ia provar a inocência dele. E que lá no céu ele procurasse pela avó, que ia cuidar dele lá. Ele tinha certeza que lá do céu ele ainda ia ter muito orgulho do avô que teve”, disse Stedile.

Ao deixar o velório, Haddad afirmou que Lula está “sentindo como avô e como pai do pai [de Arthur]”. Questionado sobre a situação de saúde do ex-presidente, ex-prefeito afirmou que é preciso “acompanhar” a saúde de Lula após o episódio. “Não podemos subestimar diante de uma dor tão tremenda”, afirmou.

Fonte:Poder 360