Justiça mantém preso empresário acusado de fraudes em licitação no município de Quixadá

O resultado das operações “Fiel da Balança” e “Casa de Palha” deflagradas pelo Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) para investigar desvio de verbas públicas na Câmara Municipal e na Prefeitura Municipal de Quixadá, tem mantido presos o presidente do Legislativo, Ivan Construções (PT), e o empresário Ricardo de Sousa Araújo. Os dois, segundo o órgão, são os principais integrantes de um suposto esquema criminoso que prejudica financeiramente a administração pública do município.

A defesa do empresário, atualmente sob o comando da Defensoria Pública, requereu, através de um pedido de revogação de prisão preventiva, a liberdade do acusado. Já o Ministério Público, no dia 17 de outubro de 2019, manifestou-se pelo indeferimento. Na justificativa o órgão disse que “as investigações acerca da organização criminosa comandada pelo requerente e os demais réus ainda persistem, sendo necessária a manutenção da prisão preventiva, uma vez que, apesar das várias denúncias já apresentadas ao Poder Judiciário, a investigação ainda está em curso”.

Analisando as duas partes, o Juiz da 3ª Vara da Comarca de Quixadá, Dr Adriano Ribeiro Furtado Barbosa, indeferiu o pedido de liberdade do réu. Para o magistrado, “A prisão preventiva do requerente foi decretada para garantia da ordem pública, tendo em vista seu forte envolvimento em organização criminosa estruturada para a prática de crimes contra a administração pública, a exemplo de peculato e de fraude a procedimentos licitatórios, estando as razões expostas de maneira exaustiva e completa na decisão de fls. 777-783 dos autos principais, sendo dispensável nova fundamentação, pois não se vislumbram fatos novos ensejadores de outra análise”.

As duas operações comandadas pelo Ministério Público poderão resultar ainda em abertura de novas denúncias, inclusive com a possibilidade de encarceramento de novos personagens. Na história política da Terra dos Monólitos esta está sendo a maior ação de combate a corrupção. A população espera que os envolvidos sejam punidos e que os recursos públicos possam voltar a ser investidos para a melhoria da qualidade de vida dos quixadaenses.

Fonte: Monolitos Post