Iguatu: Bispo emérito dom Mauro Ramalho, é sepultado na catedral de São José

Sob aplausos de centenas de pessoas que lotaram a Catedral de São José, na cidade de Iguatu, o corpo do bispo emérito, dom José Mauro Ramalho de Alarcon e Santiago, 94 anos, foi sepultado na primeira gaveta cavada bem debaixo do altar principal, às 19h30, desta quarta-feira, 11, logo após a celebração de missa de exéquias, presidida pelo arcebispo de Aracaju, dom João Costa, concelebrada por cinco bispos e dezenas de padres.

A última missa de corpo presente começou às 17 horas e encerrou o ciclo de 22 celebrações litúrgicas, a cada duas horas, que começou na última segunda-feira, 9, às 23 horas, com a chegada do corpo do bispo emérito em cortejo por ruas da cidade e conduzido em caminhão dos Bombeiros.

O bispo da diocese de Iguatu, dom Édson de Castro Homem, fez a homilia e lembrou da atuação de dom Mauro Ramalho à frente da diocese e da morte de todos e do acerto de contas com Deus. “Aqui a gente vive com máscaras, mas Deus sabe quem somos, conhece os nossos pensamentos, o nosso coração e todos nós vamos morrer um dia e não precisamos ficar abalados porque temos a esperança na vida eterna, no encontro com o Pai. Dom Mauro era um homem muito religioso, de muita oração, de fé e nunca ouvi ninguém falar mal dele”.

O caixão ficou sob um tapete, no chão, no pé do altar durante a celebração da missa, conforme recomenda o rito religioso.

Os bispos das dioceses de Limoeiro do Norte (André Vital, atual, e o emérito, José Haring), Tianguá (Edmilson Cruz) e de Quixadá (Ângelo Pignoli) participaram da liturgia, mas a Arquidiocese de Fortaleza não enviou representante. Pela manhã, o bispo da diocese do Crato, dom Gilberto Pastana, celebrou missa, mas retornou ao Cariri, em seguida.

Algumas pessoas choraram durante a celebração e emocionadas, aplaudiram fortemente, durante a condução do caixão dentro da Catedral até a parte detrás do altar, onde foi sepultado.

Fonte: Blog do Pinheirinho