Esporte:Presidente da Conmebol não põe prazo para volta da Libertadores: “O mais valioso é proteger a vida”

Assim como as principais competições do mundo, os torneios sul-americanos também foram paralisados por conta da pandemia do novo coronavírus. Agora, as Federações de Futebol Sul-Americanas, em conjunto com a Conmebol, procuram a melhor forma de retornarem com as partidas da Libertadores e da Sul-Americana.

Nesta quinta-feira (2 de julho), Alejandro Domínguez, presidente da entidade, durante a reunião do Mercosul, falou sobre os objetivos e princípios da Conmebol para o retorno das competições no continente. Para ele, o mais importante é proteger as vidas de todos os envolvidos.

“Aproveito para fazer um reconhecimento para conter a propagação da doença e atenuar os efeitos da pandemia. São tempos difíceis que exigem ações enérgicas, mas também equilíbrios.

Como sul-americano, desejo força nessa batalha. Nessa pandemia, a Conmebol teve clara sua prioridade: o mais valioso é proteger a vida de jogadores e jogadores, técnicos, árbitros, torcedores. Enfim, em todas as pessoas que trabalham no futebol. Dessa maneira, as competições foram suspensas de imediato. Uma das lições que nos deixa a pandemia é que o mundo sem futebol é um mundo triste. É um canalizador de energia que anima os espíritos”, começou por afirmar.

O dirigente, ainda, revelou algumas medidas que estão sendo tomadas junto com os presidentes de cada país, bem como os das Federações, e as autoridades sanitárias, para que os protocolos sejam respeitados a rigor.

“O futebol pode se converter para lograr, num futuro próximo, como catalisador para os países se recuperarem desse duro golpe. O futebol profissional e semi-profissional é uma indústria que provém o sustento vital de muitas famílias do continente.

O Que fique claro, para Conmebol, a saúde e a vida estão à frente de qualquer coisa. Mas, estes fatores aqui mencionados também devem ser mencionados. Um dia, as atividades paralisadas voltarão e, nós, da Conmebol, queremos estar preparados. Elaboramos um protocolo para treinamentos, viagens, competições. Foram concedidos os primeiros passos graduais que se iniciarão com partidos sem público. Nossa intenção não é voltar da noite para o dia.

O futebol deve regressar com total segurança, quando vocês, presidentes, junto com as autoridades sanitárias, considerem oportuna. Esta proposta não supõe prazos e datas, mas sim, se trata ao suporte ao retorno responsável, planificado e coordenado das competições internacionais de futebol do nosso continente”, finalizou.

Crédito da foto: Twitter/Conmebol Libertadores