Em jogo tenso, Flamengo empata com o Inter no Beira-Rio e avança na Libertadores

Melhor Plano Funerário de Mombaça e Região.
Melhor Plano Funerário de Mombaça e Região.

Em jogo tenso no Beira-Rio, o Flamengo buscou o empate por 1 a 1 com o Internacional e garantiu sua vaga na semifinal da Copa Libertadores, na noite desta quarta-feira. O time gaúcho, que perdera por 2 a 0 no jogo de ida, saiu na frente no segundo tempo, mas cedeu a igualdade em dia de recorde de público no estádio, com 49.614 presentes.

Com a boa vantagem construída no Maracanã, na semana passada, o Flamengo também foi melhor neste jogo da volta. Criou as melhores oportunidades da partida, dominou o primeiro tempo e só foi ameaçado durante poucos minutos na etapa final, quando sofreu o gol de Rodrigo Lindoso, em lance de bola parada.

O empate veio com Gabriel, que marcou o seu 26º gol em 37 jogos pela equipe carioca e selou a classificação do Fla, que voltou a contar com o volante Cuéllar nesta quarta. Na semifinal, a equipe rubro-negra terá pela frente o Grêmio de Renato Gaúcho, que eliminou o Palmeiras na terça-feira.

A outra semifinal terá Boca Juniors e o vencedor do duelo entre River Plate, atual campeão, e Cerro Porteño, que se enfrentam nesta quinta.

As datas reservadas para os confrontos já foram definidas pela Conmebol, que ainda não especificou dias e horários de cada confronto. Os duelos de ida vão acontecer nos dias 1º e 2 de outubro e as voltas estão reservadas para 22 e 23 do mesmo mês. A final, em jogo único, será em 23 de novembro, em Santiago, no Chile.

O jogo

Apesar da boa vantagem conquistada no jogo de ida, o Flamengo não se intimidou com a torcida contra no Beira-Rio e partiu para cima do Inter assim que o árbitro autorizou o início da partida. Em apenas um minuto de jogo, o goleiro Marcelo Lomba precisou mostrar serviço por duas vezes.

Na chance mais clara, Gabriel recebeu lançamento pelo meio e, cara a cara com o goleiro, bateu em cima de Lomba. A oportunidade precoce esquentou rapidamente o jogo, que ganhou em aceleração e tensão. A resposta do Inter veio aos 6, quando Guerrero trombou com Diego Alves na bola aérea e a bola morreu nas redes. O árbitro, contudo, anotou a falta do peruano.

O lance parecia o sinal de uma postura mais ofensiva da equipe gaúcha. Mas não foi o caso. O Flamengo seguiu melhor e criando boas chances no ataque. Aos 22, Bruno Henrique arriscou em chute rasteiro, de fora da área, e exigiu outra defesa difícil de Lomba. O nervosismo do Inter em campo se traduzia em discussões e desentendimentos entre jogadores das duas equipes.

À medida que a tensão aumentava em campo, o Flamengo ampliava suas chances de “matar” o confronto. Filipe Luís e Gabriel desperdiçaram boas chances. Aos 43, o atacante perdeu outra oportunidade preciosa para abrir o placar. Após passe de Bruno Henrique, ele saiu diante de Lomba e chutou rente ao pé da trave esquerda do goleiro colorado.

O segundo tempo começou com nova postura do Inter. A cautela da etapa inicial deu lugar a um estilo mais ofensivo, ainda que sem chances mais claras de gol. A situação mudou aos 16 minutos. D’Alessandro bateu falta na área e Rodrigo Lindoso escorou de cabeça na primeira trave: 1 a 0. O gol, analisado pelo VAR, precisou de cinco minutos para ser confirmado.

Com novo fôlego, o Inter partiu para o ataque em busca do empate que levaria o duelo para os pênaltis. O Flamengo, contudo, aproveitou um contra-ataque para definir o confronto. Aos 39, Bruno Henrique disparou pela esquerda e serviu Gabriel, completamente sem marcação, que não teve dificuldade para empurra a bola para as redes.

Na comemoração, o atacante provocou a torcida colorada, o que gerou novo início de confusão em campo. A tensão mais elevada complicou ainda mais a tarefa do Inter, que precisaria marcar mais três gols para obter a classificação. Sem sucesso no ataque e com pouca criatividade no meio-campo, o time gaúcho se despediu da competição continental.