Em cerimônia de 200 dias, Bolsonaro fala em reeleição e ‘criptonita’ na cadeira

Em discurso de comemoração a seus 200 dias no governo, o presidente Jair Bolsonaro deu ênfase à pauta de costumes que agrada ao seu eleitorado, falou em “criptonita” na cadeira e fez referência à possibilidade de reeleição.

“Se alguém acha que sou o Super Homem, pode continuar achando, mas pode ter certeza que minha cadeira é de criptonita”, disse em cerimônia no Palácio do Planalto, nesta 5ª feira (18.jul.2019).

Em outro momento, completou: “Vamos prometer o que cumprimos durante a campanha? Vamos. Mas a minha cadeira tem criptonita, a do Paulo Guedes [Economia], não”.

O presidente falou por 21 minutos e 50 segundos. No evento, foram apresentadas medidas como a revogação de decretos e a liberação da venda de queijo artesanal. Leia mais sobre o pacote aqui.

Bolsonaro fez críticas à reserva de vagas para transexuais e ao que chamou de “uso de dinheiro público para fazer filme como Bruna Surfistinha”. Nesta 5ª feira, o governo que pretende transferir a Ancine (Agência Nacional do Cinema) do Rio de Janeiro para Brasília. Segundo ele, não será permitido “ativismo”, como forma “de respeito às famílias”.

Elogiou sua equipe de ministros, mas disse também que não aceitaria ter em seu time alguém que fosse, por exemplo, à favor do desarmamento. “Essa não é minha linha”, disse.

“Tenho que levar avante as bandeiras que fez o povo acreditar em mim. Não tenho problema com o ‘corporativista’. Eu procuro atender sim as Forças Armadas, que são as responsáveis pela nossa democracia e liberdade”, afirmou.

O presidente disse que seu objetivo é entregar 1 Brasil melhor em “2023 ou 2027”, fazendo referência a uma possível reeleição. “Mas isso requer sacrifícios de todos nós”, continuou.

Bolsonaro voltou ainda a fazer uma defesa da indicação de seu filho, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), para embaixada dos Estados Unidos. “Imagina se o Mauricio Macri [presidente da Argentina] tivesse 1 filho embaixador aqui. Eu atenderia agora ou pediria ao ajudante para marcar uma futura data? Agora”, disse.

Ele afirmou que o filho tem relação próxima da família de Donald Trump e, se referindo ao presidente do Senado, Davi Alcolumbre, presente na cerimônia, disse “ter certeza” de que o nome do filho será aprovado em sabatina.

Fonte: Poder 360