Eleições: Camilo Santana no fio da navalha entre PT e PDT na Capital

sábado Liderança o Melhor Sábado para você
sábado Liderança o Melhor Sábado para você

São quase intransponíveis as barreiras entre o PT e o PDT em Fortaleza, a preço de hoje, fim de um ano pré-eleitoral (o ‘quase’ é para respeitar a máxima de que ‘nunca’ é palavra fora do dicionário da política). No meio de uma espécie de fogo cruzado verbal está o governador Camilo Santana, cuja atuação política tem sido marcada pela postura mais de conciliação do que propriamente de enfrentamento, que marca a relação entre lideranças das legendas no caso de Fortaleza.

O rompimento que culminou na eleição de Roberto Cláudio, em 2012, foi reforçado por episódios que se sucederam até o pleito do ano passado, em âmbito nacional, e devem manter o distanciamento para as próximas eleições.

Em entrevista ao Diário do Nordeste, o governador disse que vai continuar buscando entendimento entre as duas legendas, mas ele sabe – e reconhece – a relação hostil entre alas do PT e o grupo liderado pelos irmãos Ferreira Gomes, com quem mantém parceria e afinidade política.

Disputa de teses

Dentro do PT, um grupo mais ligado a Camilo tenta fazer malabarismos para ajudar o governador na defesa da aproximação com o PDT. Uma delas propõe que a aliança dê preferência ao PT na maioria das 25 prefeituras que o partido considera ter condição real de vencer no interior e, em troca, abrir mão da candidatura própria na Capital. Por outro lado, parece ser quase consensual a ideia de candidatura própria.

Capital político

No meio do quebra-cabeça, está a participação de Camilo no pleito da Capital.

Pesquisas internas, de vários campos políticos, apontam o governador com um alto potencial de influenciar o voto dos fortalezenses. Algo, obviamente, desejado por petistas e pedetistas. Mas em caso de não haver entendimento, que é o mais provável, o chefe do Executivo estadual ficará de fora do acirrado embate eleitoral na Capital? A conferir os acontecimentos.

Relação estremecida

A relação do governador com o PT ficou um pouco mais estremecida – pelo menos aparentemente – após aprovação da reforma da Previdência dos servidores estaduais a qual, diga-se de passagem, os deputados petistas votaram a favor. A posição mais forte foi marcada justamente pela ex-prefeita de Fortaleza Luizianne Lins, que gravou vídeo e publicou nas redes sociais, referendando posição contrária à aprovação da reforma. Camilo rebateu dizendo que a própria deputada federal fez reforma da Previdência quando prefeita.

“A própria Luizianne fez isso (reforma da Previdência) na época em que era prefeita (de Fortaleza). Um gestor tem que ter responsabilidade para saber tomar decisões”, ressaltou Camilo Santana.

Fonte:DN