Deputado da bancada da bala já articula para chegar à presidência da Câmara

Alinhado a Jair Bolsonaro (PSL), o deputado federal Capitão Augusto (PR-SP) quer chegar à Presidência da Câmara com o apoio do Centrão e da bancada da bala. “Vários membros da bancada da bala tinham comentado dessa vontade de termos 1 presidente da Câmara para que a pauta seja definida por nós”, disse ao Poder360.

Apostando na vitória de Bolsonaro no 2º turno contra Fernando Haddad (PT), ele defende que o comando do Legislativo seja aliado ao possível presidente, mas sem pertencer ao mesmo partido. “A Câmara não aceita ter 1 presidente que seja do mesmo partido do presidente da República, pela subserviência que teria. Vamos trabalhar sem subserviência absoluta,”, disse.

Entre os temas que pretende tocar se comandar a Casa, a prioridade máxima é a segurança. Ele também assumirá o comando da Frente Parlamentar da Segurança Pública em dezembro. “Reformulação do Código Penal e até mesmo da Constituição. O marginal tem que sentir o peso da mão da Justiça.”

Também defende mudança no regimento interno da Casa. “O meu intuito é tornar a Câmara mais produtiva. Poderíamos rever o regimento interno, porque foi feito para no máximo 15 partidos [a próxima legislatura deve ter 21 siglas com representação]“, diz. “Você tem que prestigiar a minoria, mas não podemos esquecer da maioria. A minoria, hoje em dia, tranca a pauta.”

No partido de Bolsonaro há quem defenda que a sigla busque a presidência da Câmara por ter eleito a 2ª maior bancada da Casa, com 52 deputados, mas a própria família Bolsonaro faz acenos ao capitão. O filho do presidenciável, Eduardo Bolsonaro, afirmou que Augusto “é 1 bom nome, que eu faço muito gosto”.

Augusto diz que sua candidatura não busca holofotes e já tem o apoio de cerca de 100 deputados. “Toda eleição tem aqueles midiáticos, não é meu caso. Venho para disputar.”

O apoio do seu partido está garantido. O PR se manteve neutro em relação à disputa presidencial e a bancada se divide entre apoios a Bolsonaro e Haddad, mas na disputa pela Câmara devem estar todos juntos. “Não tem nada a ver capitão Augusto com Bolsonaro ou Fernando Haddad”, disse o líder do partido na Casa, José Rocha (BA), que declarou voto em Haddad. “Ele é do partido e iremos apoiá-lo.”

Sua candidatura já foi informada ao atual presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Os 2 se reuniram nesta 4ª feira (17.out) e tiveram uma conversa amistosa. Augusto diz que Maia fez uma boa gestão, mas “pouco produtiva” e que o Legislativo demanda mais dinamismo.