Com gol de Messi e Rojo herói, Argentina conquista vaga dramática para as oitavas

Foi com muito drama, com bola na trave, pênalti polêmico marcado e outro recusado pelo VAR, com Messi decisivo e Rojo herói. A Argentina passou sufoco na fase de grupos apenas para comemorar como nunca uma vaga nas oitavas de final, com vitória por 2 a 1 sobre a Nigéria.

Com o resultado, a Argentina foi a quatro pontos e aproveitou a derrota da Islândia para a Croácia para ficar com o segundo lugar. Nas oitavas, o adversário será a França.

Banega faz Messi jogar
A Argentina mais uma vez entrou com escalação diferente na Copa. Di María voltou ao lado esquerdo do campo, com Higuaín no centro de ataque e Messi com liberdade, mas normalmente pela direita do ataque. A mudança que gerou mais resultado, no entanto, foi a entrada de Banega como titular. Com ele, o meio-campo argentino ganhou o toque de criatividade que faltava para não sobrecarregar Messi.

Não que a Argentina tenha feito um bom jogo. Os erros de marcação e de passes seguiram sendo uma constante. Mascherano, irreconhecível, que o diga. Mas a melhor parte de ver Banega em campo foi justamente colocar Messi também no jogo. E com Messi em jogo, a seleção albiceleste muda de patamar.

Foi com 13 minutos que a qualidade da dupla fez a diferença. Banega lançou de antes do meio-campo. Messi disparou, dominou na coxa sem diminuir a velocidade, amorteceu com a sua conhecida canhota e, ainda em movimento, completou com a direita na saída do goleiro. Um gol com a categoria habitual do craque.

A Argentina dominou o resto do primeiro tempo e ainda acertou uma bola na trave em cobrança de falta da entrada da área, com Messi. Mas o placar magro de 1 a 0 não foi o suficiente para tranquilizar totalmente o torcedor, que teria o segundo tempo para sofrer vendo sua seleção e torcendo contra a Islândia.

Rojo é o herói improvável
O segundo tempo começou com polêmica. Logo com três minutos, Mascherano se agarrou com Balogun, que se atirou no chão para cavar a penalidade. O árbitro não teve dúvida e nem com o VAR mudou de ideia. Moses cobrou a penalidade e deixou tudo igual no placar.

A Nigéria aproveitou a vantagem do empate para se fechar toda na defesa. A seleção argentina, já abalada pelos resultados recentes, sentiu demais o gol. Individualmente, a equipe de Sampaoli não funcionou. Mascherano fez jogo abaixo da crítica, Otamendi errou todos os lançamentos que tentou e Di María mais uma vez foi irreconhecível. Mesmo Messi e Banega não repetiram a boa atuação do primeiro tempo.

Sampaoli tirou Di María para colocar Meza, que se enrolou sozinho com a bola logo em uma de suas primeiras participações. Depois foi a vez de Agüero entrar na vaga de Tagliafico. A Argentina foi para o tudo ou nada.

Com a defesa argentina toda aberta, Ighalo teve duas oportunidades de ouro para resolver a partida. Perdeu as duas. Em uma delas ainda reclamaram um pênalti que o VAR recusou. A Argentina agradeceu. No fim, em cruzamento de Mercado, Rojo pegou bonito de primeira e marcou o gol da classificação albiceleste.

Fonte; MSN Noticias