Brasil tem 52 milhões de pessoas na pobreza, o equivalente a toda África do Sul

 

O Brasil tem 52 milhões de pessoas – o equivalente a toda a população da África do Sul e a um quarto da brasileira – vivendo na pobreza. Ou seja, em lares cujo rendimento médio de cada morador não passa de R$ 387 por mês ou US$ 5,5 ao dia.

A classificação é a usada pelo Banco Mundial para verificar a quantidade de pessoas nos países da América Latina que vivem nessas condições. Na pobreza extrema – rendimento domiciliar per capita mensal de R$ 133,72 ou US$ 1,9 diários – vivem 13,4 milhões de pessoas ou 6,5% da população brasileira.

Os dados constam na Síntese de Indicadores Sociais 2017, divulgada pelo IBGE nesta sexta-feira.

 

O instituto identificou que a pobreza atinge mais fortemente crianças e adolescentes, homens e mulheres pretas ou pardas e famílias formadas por mulheres sem companheiro com filhos. Os 52 milhões de brasileiros em condições de pobreza vivem em famílias formadas, em média, por 4,6 pessoas.De acordo com o estudo, 42% das crianças de 0 a 14 anos ou 17,8 milhões vivem na pobreza, assim como 33% dos homens pretos ou pardos e 34% das mulheres dessa mesma cor, enquanto atinge apenas 15% dos homens e mulheres brancas.

Com relação ao tipo de família, a pobreza atinge mais os lares formados por mulher sem companheiro e com filhos de até 14 anos (55% do total desse tipo de família) e por mulher preta ou parda também sem companheiro e com filhos de qualquer idade (64%).

A população em situação de pobreza também está em desvantagem no acesso a bens que têm papel essencial para bem-estar, como a máquina de lavar roupa. Esse eletrodoméstico estava presente em 63,7% dos domicílios particulares em 2016, mas só em apenas 34,7% dos domicílios com renda abaixo de US$ 5,5 dólares. O carro também estava presente em apenas 21% desses lares, ante metade do total de residências brasileiras.

Fonte: O Globo