Após filiação de Capitão Wagner, Pros atrai parlamentares da chamada “bancada da bala”

A chegada do deputado estadual Capitão Wagner no Partido Republicano da Ordem Social (Pros) atraiu à sigla outros parlamentares que também têm como principal agenda a segurança pública, conhecidos como “bancada da bala”.
Há menos de um mês na nova legenda, o parlamentar recebeu nesta quinta-feira, 5, os vereadores Julierme Sena e Soldado Noelio, que deixaram o Partido da República (PR). Na última quarta-feira, 4, foi a vez de Vitor Valin deixar o Movimento Democrático Brasileiro (MDB) para se juntar ao Pros.

Um dos principais nomes da oposição cogitado na disputa ao Palácio da Abolição nas eleições em outubro deste ano, Wagner afastou essa possibilidade com a mudança de partido. A intenção do militar é conseguir um cargo na Câmara dos Deputados, em Brasília. Contudo, a chapa para o Executivo não é descartada por correligionários.

Quando chegou ao Pros, em 21 de março deste ano, o deputado estadual antecipou a estratégia de abrigar seu grupo político no partido. À época, de acordo com o militar, o ingresso à legenda deu mais autonomia ao grupo para se consolidar com um partido de oposição.

A sigla foi a sexta e última dos principais adversários políticos de Capitão, Cid e Ciro Gomes, antes de eles irem para o Partido Democrático Trabalhista (PDT). À época, um dos motivos apontados para a saída da dupla junto a aliados foi a necessidade de o grupo cearense ir para um partido mais forte, já pensando no projeto político de Ciro em busca de vaga no Palácio do Planalto nas eleições deste ano.

“Bancada da bala”

Já a chegada de Valin ao Pros ocorre após atritos do parlamentar com o líder nacional do MDB, Romero Jucá. Em agosto do ano passado, o deputado federal chegou a ser suspenso da sigla por votar a favor da admissibilidade da denúncia da Procuradoria-Geral da República contra o presidente Michel Temer (MDB) por corrupção passiva. Agora, Valin tentará renovar a vaga que ocupa no parlamento nacional.

Os mais novos colegas de partido do Capitão, os vereadores Soldado Noelio e Julierme Sena devem buscar vaga na Assembleia Legislativa, ambos mantendo a agenda de segurança pública que os elegeu em Fortaleza